PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Cara ou Coroa

A nota de 50 mil pesos assinada pelo irmão de Gabriel García Márquez

Felipe Branco Cruz

09/01/2018 06h46

Gabriel García Marquéz faz graça para a foto

Gabriel García Márquez faz graça para a foto

Estive recentemente de férias na Colômbia e visitei Cartagena, a cidade que inspirou o prêmio Nobel de literatura Gabriel García Márquez (1927-2014) a escrever o clássico "O Amor Nos Tempos do Cólera".

Em Cartagena vive seu irmão Jaime García Márquez, que trabalha na diretoria da FNPI (Fundación Gabriel García Márquez para el Nuevo Periodismo Iberoamericano), fundada por Gabo e uma das entidades mais importantes do jornalismo na América Latina.

Leia também:

Como jornalista, eu achei que seria bem legal visitar a FNPI para conhecer os colegas da América Latina e, principalmente, para conhecer a sede da entidade fundada por um dos meus escritores e jornalistas favoritos, o Gabo, claro!

Quando toquei na FNPI, eu não sabia se o Jaime estaria por lá, mas dei sorte, porque foi o próprio que abriu a porta para mim.

As minhas expectativas eram apenas de conhecê-lo, tirar umas fotos, tomar um café e ir embora. Mas ele me recebeu super bem e conversamos por quase duas horas (dessa conversa eu escrevi esta reportagem, publicada no mês passado aqui no UOL).

Daí, eu lembrei que carregava comigo a nova cédula de 50 mil pesos colombianos, lançada recentemente, que tem a efígie do Gabriel García Márquez. Saquei ela da carteira e pedi para o Jaime autografar (veja na foto acima). A única pergunta dele foi: "Mas você vai estragar essa nota só por causa da minha assinatura?". A propósito, a cédula é a segunda maior da Colômbia e vale um pouco mais de R$ 50. Acima dela, só a de 100 mil pesos.

Disse para Jaime que não tinha problema "estragar a nota", já que eu tinha uma coleção, e que essa iria ficar guardada comigo – e com o "plus" de ter sido autografada pelo irmão do homenageado. Detalhe: na hora de escrever a data, ele anotou 2007 em vez de 2017 e ficou assim mesmo.

Na numismática, quando uma nota tem algum rabisco ou amassado, ela perde o seu valor. De fato, agora ela não vale quase nada entre os colecionadores, mas, para mim, ela se tornou uma das mais queridas.

É uma bela recordação da minha viagem à Colômbia e de um dos meus escritores favoritos.

Veja a assinatura abaixo:

Cédula de 50 mil pesos colombianos autografada por Jaime García Márquez

As cédulas da Colômbia

As novas notas de pesos colombianos, que entraram em circulação em 2016, são lindas. Não há mais a cédula de mil pesos, somente moeda (que seria a nossa equivalente a R$ 1), e introduziram o novo valor de 100 mil. É relativamente fácil converter os pesos colombianos em real, geralmente a cotação é de 1 real para 1000 pesos, ou seja, basta cortar três zeros.

As cédulas da antiga família continuam circulando e o governo deve retirá-las das ruas em breve. Como os dois modelos estão valendo, quem for para a Colômbia observe um detalhe: nas cédulas antigas, o valor está escrito em numerais: 1.000, 2.000 etc. Nas novas cédulas, ele aparece escrito por extenso: 2 mil, 5 mil etc. Por isso, é importante tomar cuidado para não confundir as notas e pagar algo que custa 20 pesos com uma nota de 20 mil pesos. Ou algo que custe 2 pesos com uma nota de 2 mil.

Nova família de pesos colombianos (desde 2016)

Família antiga de pesos colombianos (que ainda será recolhida)


Siga o blog nas redes sociais e não perca nenhuma atualização:

Sobre o Autor

Felipe Branco Cruz coleciona moedas e curiosidades. É jornalista com mais de 10 anos de experiência, com passagem pelos principais veículos de comunicação do país. Atualmente é repórter de entretenimento do UOL, onde escreve sobre cultura pop, música, cinema e comportamento.

Sobre o Blog

Cara ou Coroa é o blog de numismática do UOL. Por aqui você encontra reportagens e curiosidades sobre as cédulas e moedas do Brasil e do mundo.

Cara ou Coroa